Educação Ambiental na EEEFM "Rio Caeté" BRAGANÇA - PA

" EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA RIO CAETÉ "
( BRAGANÇA - PARÁ - BRASIL )

24 outubro 2012

"ANÁLISE DA CANÇÃO: MATANÇA"


Obs: Imagem extraída do site: kdimagens.com


“MATANÇA”



Cipó caboclo tá subindo na virola
chegou a hora do pinheiro balançar
sentir o cheiro do mato da imburana
descansar morrer de sono na sombra da barriguda.


De nada vale tanto esforço do meu canto
pra nosso espanto tanta mata haja vão matar
tal mata Atlântica e a próxima Amazônica
arvoredos seculares impossível replantar.


Que triste sina teve cedro nosso primo
desde de menino que eu nem gosto de falar
depois de tanto sofrimento seu destino
virou tamborete mesa cadeira balcão de bar.


Quem por acaso ouviu falar da sucupira
parece até mentira que o jacarandá
antes de virar poltrona porta armário
mora no dicionário vida eterna milenar.


Quem hoje é vivo corre perigo
e os inimigos do verde, da sombra, do ar
que se respira e a clorofila
das matas virgens destruídas vão lembrar.


Que quando chegar a hora
é certo que não demora
não chame Nossa Senhora
só quem pode nos salvar é:


Caviúna, Cerejeira, Baraúna
Imbuia, Pau-d'Arco, Solva
Juazeiro e Jatobá
Gonçalo-Alves, Paraíba, Itaúba,
Louro, Ipê, Paracaúba
Peroba, Massaranduba
Carvalho, Mogno, Canela, Imbuzeiro
Catuaba, Janaúba, Aroeira, Araribá,
Pau-fero, anjico amargoso, gameleira
Andiroba, copaíba, pau-brasil, jequitibá.



Compositor: Jatobá
Interprete: Xangai

Obs: Retirado do site: letras.mus.br/xangai/385821/



"ANÁLISE DA CANÇÃO: MATANÇA"


A canção: "MATANÇA", do compositor Jatobá e interpretada por Xangai é uma canção que por sinal possui uma letra muito crítica e que chama a atenção para alguns dos problemas ambientais como: desmatamento, a falta de proteção às arvores seculares, a destruição das florestas que protegem a vida de vários animais, inclusive a vida do ser humano que precisa respirar, nesta canção o autor chama para os destruidores das florestas de: "INIMIGOS DO VERDE, DA SOMBRA, DO AR ...".

O planeta terra e seus habitantes já experimentam as consequências do desmatamento na camada de ozônio, no aumento da temperatura e nas perdas irreparáveis na fauna e na flora que são reflexos da falta de responsabilidade ambiental que coloca a vida em todo seu conjunto em risco de destruição total. Em uma das frases que serve de jargão para esta  canção está o alerta: "QUEM HOJE É VIVO CORRE PERIGO". 

As ações devastadoras do capitalismo colocaram a sociedade em uma profunda crise ambiental com sérios riscos para os seres que habitam este planeta chamado: Terra. O que interessante ressaltar que até agora os cientistas não descobriram outro paneta com condições de vida para os seres humanos, como se pudessemos pensar: "vamos destruir este planeta e vamos embora morar em outro.." então pela lógica estamos num processo de suicídio global !!!

O Compositor desta canção, o qual a intitulou de "MATANÇA", foi muito sábio na escolha do título, que serve de uma "bofetada no rosto", para que possamos acordar desta "sonolência" frente às questões ambientais tão sérias. Outra observação é a poesia que rege a letra da canção, que fala de uma lista de espécimes de árvores revelando a riqueza da natureza com sua biodiversidade fantástica.

Nesta lista de árvores estão: Caviúna, Cerejeira, Baraúna, Imbuia, Pau-d'Arco, Solva, Juazeiro e Jatobá, Gonçalo- Alves, Paraíba, Itaúba, Louro, Ipê, Paracaúba, Peroba, Massaranduba, Carvalho, Mogno, Canela,  Imbuzeiro, Catuaba, Janaúba, Aroeira, Araribá,Pau-fero, anjico amargoso, gameleira, Andiroba, copaíba, Pau-brasil, jequitibá. Além do nome destas árvores cita outras, algumas até em extinção como o compositor ironizando esta situação, observa em uma das estrofes: "PARECE ATÉ MENTIRA QUE O JACARANDÁ ANTES DE VIRAR POLTRONA, PORTA, ARMÁRIO, MORA NO DICIONÁRIO, VIDA ETERNA MILENAR" e salienta em outra estrofe: "ARVOREDO SECULARES, IMPOSSÍVEL REPLANTAR".

Portanto, esta canção passa esta mensagem que serve de alerta diante destas problemáticas ambientais, mais também soa como um convite a repensarmos nossas ações, atitudes e posturas diante do valor da vida e aponta para a nossa responsabilidade enquanto morador deste planeta e de como estamos construindo esta relação entre o ser humano e a natureza. Na canção Jatobá chama "...CEDRO NOSSO PRIMO" revelando esta relação de proximidade, de parentesco e de amor como a natureza, apontando assim uma saída para esta crise ambiental que é o despertar da consciência e da sensibilidade de que fazemos parte da natureza e que a nossa qualidade de vida depende da qualidade ambiental.

 
Autora da análise desta canção: 
Kátia Regina Corrêa Santos 
Escrito em: 21.09.2012

2 comentários:

  1. muito booom! me ajudou muito. parabens!

    ResponderExcluir
  2. Meus parabéns ao post. Que Deus Abençoe!

    ResponderExcluir